Colar de Âmbar: Para Que Serve, Fotos, Modelos, Dicas

Publicidade

O âmbar, resina fóssil utilizada em larga escala para objetos de ornamentação como joias e outros objetivos decorativos, tem origem na seiva de arvores como pinheiros que, ao longo dos anos, perdeu a água e o ar de seu interior, solidificando e se tornando em uma resina resistente e que pode ser cortada como um mineral e utilizado como gema para colares, pingentes e brincos.

Esse material, conhecido pelo homem desde a pré-história e utilizado na manufatura de adornos ao longo de toda a história do homem, voltou a moda por conta da recente utilização por celebridades de colares feitos com o material, visando propriedades medicinais como diminuir as dores da fase de dentição de crianças pequenas ou também para melhorar a qualidade de sono dos bebês e das crianças. Famosos como a modelo Gisele Bündchen e a atriz Barbara Borges foram vistas utilizando tais colares em suas crianças, mesmo que não exista comprovação cientifica de sua eficácia. Buscamos a opinião de especialistas para averiguar os motivos para esse utilização e se realmente existe fundamento para os supostos efeitos, assim como os riscos envolvidos em sua utilização.

A utilização do âmbar na medicina natural é tão antiga quanto sua existência ornamental, mas se tornou moda há pouco tempo e chegou ao Brasil há menos tempo ainda, em grande parte devido à adoção dos colares de âmbar por famosas como as citadas anteriormente, que argumentaram acreditar que o produto tornava a fase de dentição menos dolorosa para as crianças e que também havia uma melhora no sono. A explicação dada pelos adeptos de tais colares e os vendedores que oferecem o produto é que o âmbar dos bálticos possui ácido succinico, que estudos científicos anteriores afirmam possuir capacidades estimulantes e atuação analgésica e anti-inflamatória natural. Segundo eles, ao entrar em contato com a pele das crianças as pedras se aquecem e liberam pequenas quantidades do ácido succinico no corpo, o que contribuiria para um alivio das dores e desconfortos causados pelo inchaço gengival e a febre decorrentes do processo de dentição, assim como melhoraria a qualidade do sono e a imunidade das crianças.

Apesar de não existir comprovação cientifica de que a utilização dos colares de âmbar auxilia no tratamento das dores e febres, os pais que os utilizam fazem coro em afirmar que notam os resultados logo nos primeiros dias de utilização e que a irritabilidade, a coceira e as dores diminuem de maneira visível. Outros também ressaltam que a utilização destes colares é uma novidade no Brasil, mas que em outros países, como a Alemanha e em outros pontos da Europa, ela é uma prática comum e bastante disseminada entre os pais para tratar de maneira natural tais sintomas.

Os especialistas são taxativos ao afirmar que a utilização de colares em crianças pequenas não é recomendada por conta dos riscos de asfixia e estrangulamento, pois as crianças poderiam prender o objeto em móveis ou mesmo torce-los, causando riscos à saúde. A alternativa mais segura recomendada por eles é utilizar as pedras de âmbar em tornozeleiras e pulseiras, possibilidade essa que elimina a possibilidade de estrangulamento e asfixia.

Existem algumas maneiras de avaliar se o âmbar do colar é verdadeiro ou se se trata de uma imitação feita de vidro ou plástico. Confira:

  1. Você pode utilizar álcool de cozinha ou acetona para remoção de esmalte aplicados em um produto de hastes flexíveis ou algodão e esfregar contra o material. Também pode aplicar algumas gotas do mesmo produto em uma das contas do colar. Caso a textura se altere, fique viscosa ou pegajosa ou mesmo mude de cor, o produto não é autêntico.
  2. Você também pode testar a qualidade e autenticidade das contas utilizando de um teste de densidade. O âmbar verdadeiro deve boiar em uma solução de água e sal, enquanto contas feitas de vidro ou de plástico afundarão.
  3. O verdadeiro âmbar apresenta uma sensação morna ao toque, enquanto as imitações de vidro tendem a ser mais frias que a temperatura corporal, o que pode indicar que o âmbar utilizado é falsificado ou que o mesmo se trata de vidro ou plástico.

Os especialistas também alertam para algumas medidas de segurança no caso da utilização dos colares, principalmente em crianças pequenas e bebês. Você deverá verificar que cada conta do colar possua nós, para que não se espalhem nem sejam colocadas na boca no caso do colar estourar. É interessante evitar que o colar seja utilizado durante os banhos ou exposto a outros tipos de líquidos, pois esses materiais podem desgastar o cordão do colar e causar o seu rompimento, o que pode culminar em asfixia, caso a criança ingira as contas de âmbar. No caso da utilização por crianças pequenas, é interessante manter uma constante vigilância em relação ao seu uso, para verificar se o colar as incomoda, pois o risco de rompimento caso o produto seja incomodo é maior. Na hora de dormir, é recomendado colocar o colar entorno do tornozelo da criança, dando duas voltas e evitando assim que ela possa sufocar.

O que você achou das fotos de modelos de colares de âmbar? Deixe um comentário!

One Comment

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar!