Creatina Faz Mal para os Rins ou para Saúde?

Publicidade

A indústria de suplementos alimentares fatura, anualmente, mais de 46 bilhões de dólares no mundo. No Brasil, a fabricação e comercialização destes produtos são regulamentadas pelo Ministério da Saúde por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Neste artigo, estaremos apresentando alguns estudos sobre a creatina e se esta substância realmente faz mal ou não para a saúde. Se quiser saber mais sobre a creatina ou sobre outros tipos de suplementos, leia também os artigos efeitos da creatina e suplementos para musculação.

Você vai gostar de ler:

Como funciona a legislação para a creatina?

O uso indiscriminado de suplementos de creatina está sendo alvo de muitos estudos que buscam verificar se esta substância pode de fato melhorar o desempenho físico e quais os efeitos do seu uso prolongado.

Alguns países, como a França, por exemplo, já proibiram a venda da creatina. Já no Brasil, em 2010, a ANVISA contemplou a creatina dentro da RDC no. 18/2010 que estabelece a classificação, os requisitos de composição e de rotulagem da categoria alimentos para atletas, determinando que o produto pronto para consumo deva conter de 1,5 g a 3,0 g por porção.

Recomenda-se a utilização de, no máximo, 3 g por dia de creatina, não devendo se ultrapassar este limite por questões de segurança e não sendo recomendando o uso desta substância por pessoas com problemas renais, hepáticos e cardíacos.

Vamos conhecer agora alguns dos possíveis efeitos adversos que a creatina tem no organismo:

Sobrecarga do sistema renal:

Como vimos no artigo efeitos da creatina, esta substância é transformada em fosfato de creatina dentro do músculo, aumentando a produção de energia devido à restauração dos níveis de ATP.

Posteriormente, a creatina é convertida em creatinina, sendo excretada pelos rins. Por este motivo, alega-se que o excesso de creatina obtida pela suplementação possa sobrecarregar este órgão, provocando insuficiência renal.

Aumento da retenção de líquido:

Pesquisas demonstraram que o uso de suplementos de creatina aumenta o peso corporal, em função da maior retenção de água no músculo causada pelo aumento da creatina intramuscular.

Devido ao processo de retenção de líquido intramuscular com o uso da creatina, recomenda-se o aumento da ingestão de água, garantindo a hidratação do organismo como um todo;

Aumento de problemas de saúde:

Algumas pesquisas mostraram efeitos adversos no uso de creatina com apresentação de sintomas como desconforto intestinal, náusea, dor de cabeça, vômito e diarreia.

Apesar de existirem muitas pesquisas, infelizmente, não é possível afirmar que esta substância é totalmente segura ou mesmo detectar se o uso prolongado da mesma pode causar problemas à saúde. Muitos profissionais, portanto, são extremamente cautelosos na indicação deste tipo de suplementação;

Conclusão

Apesar de existirem muitos estudos sobre os efeitos do uso de suplementos de creatina, não há comprovação científica efetiva de que esta substância realmente afete a função renal e que possa causar riscos à saúde.

Antes de utilizar uma suplementação de creatina procure um profissional da área de saúde e faça exames detalhados para verificar se já tem algum problema renal, procurando renovar estes exames de maneira periódica.

Continue conosco nos próximos artigos e deixe aqui seus comentários ou dúvidas. Até mais.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar!