Dieta Enteral: Saiba Tudo Sobre a Enteral!

Publicidade

Saiba mais sobre a dieta enteral

Nem sempre é possível promover uma dieta tradicional, com a ingestão típica de alimentos, por diversos fatores. Para casos como esses, que são bastante específicos, há a dieta enteral, também conhecida como nutrição enteral, um meio de nutrição que substitui ou complementa a nutrição tradicional para pacientes que por razões médicas não possam se alimentar do modo tradicional.

Dieta Enteral Dica da Dieta Enteral

Embora não seja uma técnica usada comumente e nem para todos os casos, é importante conhecer como a dieta enteral funciona e em quais casos ela deve ser utilizada, além de conhecer as vantagens e desvantagens entre uma dieta enteral industrializada e uma artesanal.

O QUE É DIETA ENTERAL?

ilustração virada

Dieta enteral, também conhecida como nutrição enteral, é um meio de alimentação feito por sonda no qual o alimento se encontra em composição líquida ou em pó. Seu objetivo é que pacientes que estão impossibilitados de ingerir comida da forma normal possam ter uma alimentação equilibrada com a quantidade ideal de carboidratos, gorduras, minerais, proteínas e vitaminas. Essa dieta ajuda na recuperação dos pacientes que passaram por algum procedimento hospitalar ou estão hospitalizados, garantindo que não haja perda de peso e que o paciente tenha uma boa nutrição.

Dieta Enteral

EM QUE CASOS A DIETA ENTERAL É ACONSELHADA?

A dieta enteral é aconselhada aos pacientes que não possam se alimentar por via oral devido a alguma doença, procedimento médico ou recuperação hospitalar. Dentre os casos em que a dieta enteral é indicada podem-se destacar pacientes que tenham sofrido Acidente Vascular Cerebral (AVC), que possuam quadro de anorexia nervosa, em casos de câncer, coma, doenças inflamatórias no intestino, queimaduras graves, insuficiência hepática e renal e problemas estomacais que causem náuseas e vômitos.

para sua saúde

COMO É ADMINISTRADA AO PACIENTE?

A dieta enteral pode ser feita em casa, no hospital ou no ambulatório e é administrada através de uma sonda que pode ser posicionada no estômago ou no intestino delgado de quatro formas diferentes.

  1. Via Nasogástrica: a sonda é introduzida pelo nariz ou pela boca até o estômago.
  2. Via Nasoentérica: a sonda também é introduzida pelo nariz ou pela boca até o intestino delgado.
  3. Gastrostomia: através de um procedimento cirúrgico, a sonda é introduzida por um orifício diretamente no estômago.
  4. Jejunostomia: também através de um procedimento cirúrgico, a sonda é introduzida por um orifício diretamente no intestino delgado.

TIPOS DE DIETA ENTERAL

Dieta Enteral

Há dois tipos de dieta enteral, a industrializada e a artesanal. A dieta enteral industrializada pode ser encontrada pronta para consumo com todos os nutrientes necessários para uma alimentação equilibrada apresentando-se das seguintes formas:

  • Em pó: o conteúdo deve ser diluído em água.
  • Líquida em sistema aberto: pronta para consumo e deve ser colocada em um frasco plástico descartável.
  • Líquida em sistema fechado: pronta para consumo havendo apenas a necessidade de conectar a embalagem no frasco da dieta.

Já a dieta enteral artesanal é feita de forma caseira com preparo in natura, ou seja, os alimentos são passados no liquidificador em sua forma original e depois coados.

aparelhos

A dieta enteral industrializada é muito mais segura do que a artesanal, por contar com a quantidade correta de nutrientes e passando por um processo de higiene que muitas vezes não é alcançado na dieta artesanal. Por esse motivo, o custo da dieta enteral industrializada é mais elevado, levando muitos pacientes a optarem pela dieta artesanal.

COMO DEVE SER FEITA? COMO FAZER!

Antes de administrar a dieta enteral ao paciente, lave bem as mãos com sabão e limpe o frasco da dieta com um pano umedecido em álcool. Em seguida, tenha certeza que a sonda está bem fixada no paciente. Observe também se a dieta está em temperatura ambiente. O paciente deve estar sentado em um ângulo mínimo de 45º em relação à cama durante todo o processo e até meia hora após a administração da dieta.

no hospital

A dieta enteral deve ser administrada de 3 em 3 horas no volume prescrito pelo médico e de forma lenta, sempre estando atento se o paciente apresentar qualquer tipo de reação negativa.

CUIDADOS NA DIETA ENTERAL

pra sua saúde

Caso o paciente tenha enjoo, tosse, problemas na respiração ou qualquer outro tipo de alteração é importante suspender a dieta e ligar imediatamente para o médico em busca de orientação. Tenha cuidado ao manusear a sonda para que você não a puxe acidentalmente, mas caso isso aconteça ela deve ser trocada por um médico ou enfermeiro. O procedimento também deve ser adotado caso a sonda sofra algum tipo de entupimento. Não administre medicamentos junto com a dieta enteral, já que devem ser tomados após a dieta.

COMPLICAÇÕES DA DIETA ENTERAL

O paciente pode apresentar certas complicações com a dieta enteral e embora o número de casos seja mínimo, podem ocorrer lesões no nariz, sinusite, úlceras, rouquidão, ruptura de vasos no esôfago, complicações pulmonares e problemas com a sonda. Caso o paciente apresente algum desses sintomas, não hesite em consultar o médico.

mais saúde

A dieta enteral busca trazer a pacientes que passaram por procedimentos hospitalares ou que não possuem condições de alimentação oral uma qualidade de vida ingerindo os nutrientes necessários para uma alimentação saudável e completa. Não comece a dieta enteral sem consultar um médico, já que somente um profissional pode orientar e prescrever a dieta enteral.

O que você achou das dicas de como fazer a dieta enteral? Comente!

One Comment

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar!